top of page
  • Foto do escritorRoberto Mancuzo

O Impacto da Automação de Processos para uma Holding com uso de Hiperautomação

No ambiente corporativo moderno, a eficiência e a integração são essenciais para o sucesso. Isso é particularmente verdadeiro para holdings que operam em diversos segmentos e dependem de um Centro de Serviços Compartilhados (CSC) para otimizar e padronizar serviços comuns. A automação de processos, por meio do uso de plataformas de Workflow/BPMS (Business Process Management System), RPA (Robotic Process Automation) e Inteligência Artificial (IA), surge como uma solução poderosa para enfrentar esses desafios. Este artigo explora o impacto da automação de processos para essas holdings, destacando como essas tecnologias podem orquestrar processos, integrar pessoas e sistemas, robotizar tarefas e, juntas, formar uma estratégia de hiperautomação.


O Papel do CSC em uma Holding

Um CSC serve como um núcleo centralizado para a realização de funções de suporte, como finanças, recursos humanos, TI e compras, beneficiando várias empresas dentro de uma holding. Este modelo promove a padronização, reduz custos e aumenta a eficiência operacional. No entanto, a diversidade de sistemas e processos pode complicar a integração e a colaboração. É nesse contexto que a automação de processos se torna essencial.


BPMS: Orquestração e Integração

O Workflow/BPMS é uma ferramenta que permite a modelagem, execução e monitoramento de processos de negócios. Ele facilita a orquestração de tarefas, garantindo que todas as etapas de um processo sejam seguidas de forma eficiente e consistente. Para uma holding com múltiplos sistemas e fluxos de trabalho, o BPMS oferece os seguintes benefícios:

  1. Padronização de Processos: Permite a criação de fluxos de trabalho padronizados, garantindo que todas as empresas do grupo sigam as melhores práticas e procedimentos uniformes.

  2. Integração de Sistemas: Conecta diferentes sistemas e plataformas, permitindo a troca de informações sem interrupções e reduzindo a necessidade de intervenções manuais.

  3. Transparência e Monitoramento: Proporciona visibilidade em tempo real sobre o andamento dos processos, facilitando a identificação de gargalos e a tomada de decisões informadas.


RPA: Robotização e Interação de Tarefas

O RPA é uma tecnologia que utiliza bots para automatizar tarefas repetitivas e baseadas em regras. Quando combinado com um BPMS, o RPA pode elevar a eficiência operacional a um novo patamar. Os principais impactos do RPA incluem:

  1. Redução de Erros: Bots executam tarefas com alta precisão, minimizando erros humanos e retrabalho.

  2. Aumento de Produtividade: Ao automatizar tarefas rotineiras, os colaboradores podem se concentrar em atividades de maior valor agregado, como análise de dados e tomada de decisões estratégicas.

  3. Escalabilidade: Bots podem ser rapidamente escalados para atender a picos de demanda, garantindo que os processos continuem a funcionar de maneira eficiente.


Inteligência Artificial: Potencializando a Automação

A IA adiciona uma camada de inteligência à automação de processos, permitindo análises preditivas, tomadas de decisão autônomas e aprimoramento contínuo dos processos. Integrada ao Workflow/BPMS e RPA, a IA oferece:

  1. Análise de Dados Avançada: IA pode analisar grandes volumes de dados em tempo real, identificando padrões e insights que podem otimizar processos.

  2. Tomada de Decisões Automatizada: Algoritmos de IA podem tomar decisões baseadas em dados, melhorando a precisão e a velocidade das respostas a eventos e mudanças de mercado.

  3. Aprendizado Contínuo: Sistemas de IA podem aprender com os dados históricos e operacionais, ajustando-se continuamente para melhorar a eficiência e a eficácia dos processos.


Hiperautomação: A Sinergia entre BPMS, RPA e IA

A combinação de BPMS, RPA e IA cria uma estratégia de hiperautomação, onde a automação vai além da simples execução de tarefas e processos. Esta abordagem integrada proporciona:

  1. Automação Completa: Processos podem ser automatizados do início ao fim, com bots executando tarefas específicas, o BPMS coordenando o fluxo geral e a IA oferecendo inteligência e análise em tempo real.

  2. Flexibilidade e Adaptação: A capacidade de ajustar rapidamente os fluxos de trabalho, bots e algoritmos de IA permite que as empresas respondam de maneira ágil às mudanças de mercado e demandas internas.

  3. Melhoria Contínua: O monitoramento contínuo dos processos e o feedback em tempo real, aliado ao aprendizado de máquina, permitem melhorias contínuas, aumentando a eficiência operacional ao longo do tempo.


Fonte: Imagem desenvolvida pela Gartner

Conclusão

Para holdings que operam em diversos segmentos, a automação de processos com o uso de BPMS, RPA e Inteligência Artificial é uma estratégia fundamental para alcançar eficiência, integração e escalabilidade. Ao padronizar processos, integrar sistemas e automatizar tarefas, essas tecnologias ajudam a reduzir custos, aumentar a produtividade e melhorar a qualidade dos serviços prestados pelo CSC. Em última análise, a adoção de uma abordagem de hiperautomação permite que essas holdings se concentrem em suas competências essenciais, impulsionando o crescimento e a inovação em um mercado competitivo.

Comments


bottom of page